Em geral, o ideal durante a gravidez é praticar atividades variadas e que trabalhem diferentes partes do corpo, como exercício aeróbico, alongamento muscular, fortalecimento, caminhada, bicicleta ergométrica, fortalecimento de abdômen, lombar e membros superiores e inferiores.

Mas, e a corrida?

A regra é simples: quem nunca correu não vai iniciar na gravidez, Né?
Então vamos falar das futuras mamães, hoje corredoras.
Durante a gestação, ocorrem algumas mudanças na postura da mulher – mais especificamente, ”seu eixo gravitacional” sofre alteração com o aumento do abdômen. Para aumentar sua base de sustentação, a gestante fica com as pernas mais afastadas. Também ocorre ou aumenta a hiperlordose, causada pela sobrecarga de peso na região lombar. Esse conjunto de fatores pode aumentar o risco de quedas durante o exercício, já que a “base” já não é mais a mesma! Mas isso só piora com o tempo... a partir do quinto mês, quando começa realmente a haver uma alteração significativa do tamanho do abdômen.

Imprescindível: assim que souberes da boa nova, corra ao seu obstetra/ginecologista para informar-se do seu caso específico através dos exames adequados. Dependendo do caso, é melhor dar férias a corrida!

O que não é aconselhável de maneira geral: treinos de pista (velocidade), treinos longos (maiores do que 1h) e temperaturas elevadas.

Mas e aí, onde entra a nutrição nisto tudo?

A “enxurrada” de hormônios que ocorre no corpo da mulher, traz alguns “contratempos”. No primeiro trimestre, é comum sentir enjôo. Além de ser normal, é também um convite para maneirar.

Mas, se mesmo assim quiseres tentar, o que comer antes? A melhor opção são os biscoitos água e sal integrais OU 1 f pão integral torrado com pouquinho de pasta de amendoim OU geléia sem açúcar (em geral gestantes aceitam bem). Mas e a banana? Algumas gestantes sentem azia durante os treinos quando ingerem banana antes...e a batata doce? Muitas reclamam de estufamento! Resumo: o que a gestante sentir-se melhor! E o aipim? Ótimo se ela aceitar bem!

E se o enjôo começar durante a corrida, ouça o sinal e pare.

A hidratação é importantíssima, já que a mesma é uma reguladora da temperatura corporal. O estresse do exercício é acentuado pela desidratação, que aumenta a temperatura corporal, prejudica as respostas fisiológicas colocando em risco a saúde do bebê e da mamãe.

A sugestão é escolher uma preparação com consistência leve ou líquida, com adequação na quantidade de carboidratos. Assim, a refeição que antecede os treinos deve ser suficiente na quantidade de líquidos para manter hidratação, pobre em gorduras e fibras para facilitar o esvaziamento gástrico, rica em carboidratos para manter a glicemia e a disponibilidade de carboidratos para o feto.

Como a gestação é um momento especial e cada gestante é singular, torna-se importantíssimo um acompanhamento multidisciplinar, a fim de que a super gestante ativa possa vivenciar da melhor maneira possível esta fase.

A intensidade e duração das corridas devem diminuir à medida que a gestação progride. No entanto, o acompanhamento nutricional adequado somado a um treino bem prescrito e acompanhado é capaz de prevenir diabete gestacional, melhorar o humor a auto-imagem e a ansiedade.

Curta esse momento intensamente, correndo com segurança!